Estamos no meio, quase fim, da Semana do Meio Ambiente (1 a 6 de junho) e pode-se dizer que temos uma coisa a comemorar. Enquanto de um lado, os pontos focais da estrutura falida que governa a sociedade moderna falha em liderar, organizar e facilitar novos caminhos para um amanhã que possa assimilar os pontos onde a sociedade falhou de forma a dar novas ferramentas para a reconstrução das formas com que nos relacionamos com o planeta, temos do outro lado a própria sociedade que dá lição com maestria.

 
 

Sim, temos o que comemorar nesta semana que mais lembra a destruição e o descaso do que a beleza e a riqueza. Comemoramos hoje a sociedade que se torna cada vez mais independente dos, outrora fortes, laços institucionais. O Governo já sinalizou sua postura derrotista e acanhada, de retrocesso e negligência para com o Meio Ambiente inumeras vezes nos últimos três semestres, com casos como o IBAMA, Belo Monte, PEC215, e o ainda amargo Código Florestal, que nos sôa como lembrar de um ente querido levado pela violência suburbana.

 
 

Impactos Belo Monstro


 
 
As grandes corporações e empresas estão cada dia mais “verdes”. Suas maquiagens compradas às pressas deixam escapar o sorriso irônico do vendedor de sonhos. Hoje, até a VALE é sustentável e auxilía na proteção e conservação das florestas amazônicas. A Rio+20, engessada nas mesmas corporações e agências financeiras que ditam os rumos do colapso, se aproxima com certa lerdeza para não chegar a lugar algum.
 
 
Mas, sim, temos o que comemorar! Temos cada dia mais vóz e motivos pra usá-la. Temos cada dia mais força e razão para nos levantar. Temos cada primavera mais inspirações e pessoas para nos espelhar. Temos gente como a gente, que entrou em movimento e não sabe (quer) mais parar. Exemplo disso é o trabalho muito bem organizado e idealizado pelo artista Thiago Mundano que realizou em São Paulo, na segunda edição da Virada Sustentável o “Pimp my Carroça”. Um projeto no melhor estilo do povo para o povo desses que dá gosto de ver.
 
 

Thiago Mundano, agente transformador.


 
 
São as ações da sociedade, cada vez mais preocupada, cada vez mais consciente, cada vez mais auto-gestionada, líder, ativista autoral, que devem ser celebradas hoje, nesta Semana do Ambiente que está ao meio…
Parabéns a todos que já se levantaram e se colocaram em movimento, tomando nas mãos o progresso real e o futuro das pessoas que não querem viver para o trabalho, mas que trabalham pela vida. Fica aqui, mais uma vez, nosso chamado a você que quer se levantar mas ainda está de certa forma tímido. “Vem, vamos embora, que esperar não é saber!”
 
 
 

Por: Mikael Freitas