Ter um animalzinho de estimação é o sonho de muitas crianças e, além de ensinar os pequenos o senso de responsabilidade, companheirismo e afeto, os animais fazem bem até mesmo para a saúde das crianças. Entretanto, é preciso saber se a família toda está preparada para criar um pet e também qual tipo de animal mais se adequa à rotina do lar antes de pensar em adotar o bichinho.

Por esse motivo, voltamos a bater na tecla de alerta para o Dia das Crianças, que está bem próximo: animal de estimação não é brinquedo! Apesar da boa intenção de quem presenteia, um animalzinho não deve ser oferecido sem plena consciência das responsabilidades que essa decisão envolve, e a vida deste pet é tão importante quanto a de um ser humano.

Um problema comum das crianças é o fato delas enjoarem rapidamente de suas coisas. E, em muitos casos, isso não é diferente com os animais de estimação. Elas podem ficar muito empolgadas com a ideia de ter um cachorro ou gato em casa. Mas, na primeira dificuldade, enjoam e desistem de cuidar do animal. Por isso, é importante saber se toda a família está disposta a cuidar do animal e ensinar a criança sobre essa responsabilidade.

Lembre-se: Abandono e maus tratos a animais é crime. A denúncia é legitimada pelo Artigo 32, da Lei Federal nº. 9.605 de 1998 (Lei de Crimes Ambientais), com pena de detenção que pode variar de três meses a um ano, além de multa. Porém, apesar de leis e punições para quem abandona animais, infelizmente esse fato ainda é muito comum.

Mas, se caso a família toda esteja disposta a amar, cuidar e proteger o novo pet, uma ótima alternativa é optar pela adoção, já que os abrigos de animais, assim como a Mapaa, estão lotados de animais disponíveis para adoção, com ou sem raça definida. Considere também adotar animais idosos ou com algum tipo de deficiência.

Adotar é um ato de amor. Ao adotar, você salva uma vida e ela te salva, oferecendo amor e gratidão sem limites!