Em 23 de maio foi sancionada, pelo prefeito de São Paulo Bruno Covas, a lei municipal 16.897/18, na qual ficava proibido o uso, manuseio, queima e soltura de fogos de artifícios na capital paulista. A medida foi muito comemorada por amantes e protetores dos animais, porém, às vésperas da Copa do Mundo, o desembargador Borelli Thomaz, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), garantiu liminar para suspender tal lei.

Com o início dos jogos da Copa do Mundo, os animais são um dos mais prejudicados com a queima de fogos e é importante entender o porquê do cachorro sentir tanto medo: o cão possui audição muito sensível, podendo escutar a origem do som em até 6 centésimos de segundo e chegando a escutar até 45 mil hertz. Então, o som dos fogos (também alarmes e trovões) pode ser uma fonte de inquietação.

Entre os problemas que os fogos de artifício podem causar aos cães, podemos destacar:

  • Fugas, que podem causar atropelamentos ou mesmo provocar acidentes;
    Mortes por enforcamento em coleiras, por pularem de locais altos, entre outros;
  • Ferimentos, quando atingido ou quando abocanham rojão achando que é algum objeto para brincar;
  • Traumas emocionais, resultando na mudança de temperamento para agressividade;
    Ataques, contra os próprios donos e outras pessoas;
  • Brigas com outros animais, com os quais convivem inclusive;
  • Mutilações, no desespero de fugir atravessando grades e portões;
  • Convulsões em cães de mais idade.

Como proteger meu pet?

  • Mantenha a calma e projete essa confiança para o seu cachorro. Lembre-se que os cães são peritos em linguagem corporal e vão saber se você estiver só fingindo estar calmo;
  • Colocar um algodãozinho no ouvido do cachorro para que ele não escute com tanta intensidade o barulho é uma excelente tática;
  • Confira se o portão da sua casa está bem fechado;
  • Mantenha a coleira no seu cão, com identificação;
  • Sempre converse com o seu veterinário sobre o problema. Em casos extremos, o profissional responsável pode prescrever um tranquilizante para que o cachorro mantenha a calma;
  • Se possível, evite deixar seu cão sozinho em casa em dias que provavelmente soltarão fogos de artifício.