Um dos motivos para as pessoas não terem tanto interesse com a biodiversidade e a sua conservação se dá pelo fato da falta de contato com a vida silvestre. Veem notícias sobre animais e plantas em extinção, mas esses casos estão tão fora de suas realidades que pouco se importam. Acontece que essa biodiversidade não é exclusividade de florestas longínquas, ela nos cerca, e faz parte das nossas vidas em alguma medida. Nós aqui do Instituto MAPAA queremos trazer para você alguns dos seres vivos que a sociedade considera exóticos, mas que na verdade podem ser vistos nas grandes cidades. Hoje, começaremos com um mamífero de cara simpática, o mão-pelada.

 

Mão-pelada

 

O mão-pelada é um guaxinim (aquele dos filmes americanos, que vira as latas de lixo, temos eles também), e seu nome científico é Procyon cancryvorus. Olha a carinha dele:

 

Esse mão-pelada resolveu visitar uma obra (Foto: Sergio Ferraz de Mello)

 

É possível vê-lo em seu habitat natural lá no Parque Anhanguera, e nos bairros de Pirituba e Vila Maria, na cidade de São Paulo. Esse aí de cima deu um olá numa obra de Piracicaba, no estado de  São Paulo. Mesmo tendo essa cara fofa, o ideal é que você não tente mexer nele, já que, provavelmente, ele estará bastante estressado por se encontrar numa situação não habitual. O mão-pelada não vai te passar doenças, mas já foram registrados alguns roubos de galinhas. Na maior parte do tempo, come frutas, moluscos e peixes, por isso vive perto de rios e brejos, e curte subir em árvores.  Como a maioria dos mamíferos não-símios, seu olfato é bastante desenvolvido e tem hábitos noturnos.

 

O mão-pelada dessa obra estava um pouco tenso, mas as pessoas que o encontraram foram bem orientadas pela prefeitura e deu tudo certo. (Foto: Sergio Ferraz de Mello)

 

O mão-pelada é encontrado em vários países além do Brasil, como Argentina e Bolívia. Costuma ter de 3 a 4 filhotes por ciclo reprodutivo, e infelizmente está ameaçado de extinção, mas no nível mais moderado (o que não significa que podemos descuidar, muito pelo contrário). Se você encontrar algum acuado em um lugar muito urbanizado, deixe-o quieto. Quando anoitecer ele provavelmente irá embora. Se achar que ele está correndo perigo, ligue para a prefeitura da sua cidade pedindo ajuda. Alguém saberá o que fazer.

 

A história do mão-pelada pedreiro está no site do G1, e aconteceu ano passado!